segunda-feira, 23 de maio de 2011

Mósse!!! ELES VÊEM AÍ!!

E cá estão eles, os primeiros a chegar para este Mega evento que este ano terá lugar em Armação de Pêra.











Sejam bem vindos e divirtam-se QB!!!

sábado, 21 de maio de 2011

terça-feira, 17 de maio de 2011

A luta por um lugar na sombra


Na noite de 15 para 16 de Maio foram centenas as pessoas que pernoitaram à porta da Junta de Freguesia de Armação de Pêra, na tentativa de alugarem um toldo.

A causa principal era, o fato de no ano anterior o número de toldos ter sido reduzido e muita gente ter ficado sem o toldo. Para além de que nessas zonas concessionadas não ser permitido a colocação de sombreiros!


O que como todos sabemos causa sempre grande discórdia entre os frequentadores da nossa bela praia.
Enfim ossos do oficio!

domingo, 15 de maio de 2011

Ano Europeu do Voluntariado

A  Associação dos Amigos de Armação recebeu o seguinte apelo  da Associação de Pescadores da vila, que a seguir transcrevemos:
“Neste ano Europeu do voluntariado vamos dar a nossa contribuição; há mil e uma possibilidades de sermos úteis na nossa vila.
Venho propor-vos que disponham de um pouco do vosso tempo para ajudarem a nossa  comunidade piscatória na reabilitação dos apoios de pesca e na pintura do edifício da lota.




Esta comunidade debate-se  com uma série de dificuldades, não dispondo de qualquer tipo de apoio financeiro por parte das entidades públicas.
Não tendo meios para a reabilitação dos apoios que se encontram muito degradados, depende da boa vontade de terceiros. Já conseguimos os materiais, cedidos gratuitamente por uma empresa do nosso concelho, a Silmadeiras. Para a pintura da lota, a Barbot  cedeu-nos a tinta necessária.
Necessitamos agora de mão de obra para tornar efectuar esta tarefa. Dividida por muitos, não custa nada. Voluntarize-se!

Para mais informações  é  favor contactar a Associação de Pescadores pelo  915 978 905. ”

terça-feira, 26 de abril de 2011

Poetas da nossa Terra

 A todos os poetas amadores interessados

Iremos apresentar neste blog as poesias vencedoras que participaram no nosso 1º Concurso de Poesia Amadora, de tema livre.
Esta actividade está inserida na nossa Área Cultural /Recreativa e exposta na montra da lojinha do casino até ao final do mês de Maio onde estão exibidos todos os poemas.
Agradecemos de novo aos poetas amadores que colaboraram nesta iniciativa. Posteriormente, iremos lançar o 2º Concurso de Poesia Amadora, esperando de novo a vossa participação e a de todos os mais interessados, contribuindo deste modo para a divulgação e desenvolvimento da escrita. Actividade tão eficaz numa comunicação, desenvolvendo a emotividade e criatividade, ocupando deste modo tempos livres e colaborando com a nossa Associação.
  

domingo, 24 de abril de 2011

Cão Perdido II



Este "amigo" apareceu na Quinta dos Arcos e por lá anda tem coleira e parece bem tratado. Encontra-se perto do Restaurante sabor Supremo.




terça-feira, 19 de abril de 2011

Outros amigos na nossa festa

Entrega de prémios concursos de fotografia e poesia




Resultados do 1º Concurso de Poesia Amadora, tema Livre

1º PRÉMIO:
ARIANA DIAS
Titulo da Poesia “A Astronomia”

MARIA de JESUS SALES
Titulo da Poesia “O Mar”

2º PRÉMIO
MARIA de JESUS SALES
Titulo da Poesia “Sentimento profundo”

MANUEL LUIS do CARMO SILVA
Titulo da Poesia “ A Caldeirinha do Monte”

3º Prémio
PAULA RIBEIRO GONÇALVES
Titulo da Poesia “É Tempo de Pensar”

MENÇÃO HONROSA
Um Amigo

Associação Amigos d’Armação

Resultados do 1º Concurso de Fotografia Amadora
“Um Olhar Sobre Armação de Pêra”

1ºPRÉMIO
ANA MARGARIDA FRANCO
Titulo Da Fotografia “ O Moderno”

2º PRÉMIO
Titulo Da Fotografia “O Antigo”

3º PRÉMIO
JOÃO CARPINTEIRO
Titulo da Fotografia “O sino da capelinha da Fortaleza”

Menção Honrosa
ISABEL SALLES ROCHA – “Foto que me foi oferecida por uma pessoa que amava Armação de Pêra”

quinta-feira, 7 de abril de 2011

2º Aniversário da associação amigos de Armação


Foi no dia 7 de Abril de 2009 que nasceu esta associação, queremos que cresça e se torne cada vez mais sólida e que esteja sempre ao serviço da terra que pertence, Armação de Pêra.

No próximo dia 9 de Abril, Sábado, vamos fazer a nossa festa que terá lugar no local onde estava o antigo mini golf.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Beach Club....

No passado dia 1, ficamos a saber através do Blog de um vereador, que foi entregue em sessão a proposta que abaixo expomos, não nos vamos pronunciar acerca deste assunto, no entanto quem conhece a nossa filosofia e estatutos, sabe o muito bem o que pensamos sobre este assunto!




Relembramos no entanto que o projecto por nós apresentado que interagia inclusive com diversos artesãos e comerciantes já estabelecidos, visava concertos e diversões com horário até às 00.30, o local era praticamente o mesmo e o que nos deixa incrédulos é que nem chegou a sessão de Câmara, pois o Sr. actual Vice Presidente Prof. Rogério Pinto declinou devido ao ruído que iria causar tal evento.


Para não falarmos também do Saltbeach, cuja localização não se encontrava tão perto da vila no entanto, foi recusado tendo estes empresários perdido milhares de euros, pois tinham já artistas de renome contratados para o espaço.


http://www.barlavento.pt/index.php/noticia?id=34447

Com todo este universo de contradições, nada mais temos a dizer senão, o estranho paradigma de conduta da nossa Câmara Municipal.
Deixamos aqui uma pequena sondagem para que saibamos a vossa opinião sobre este assunto.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Wellcome!

Licenciamento Zero

Chegou uma excelente noticia para os comerciantes, empresários e investidores de todo o País, o "Licenciamento zero".


Retirado do JORNAL DA UE DE 27 DE DEZEMBRO 2006
"Uma das dificuldades fundamentais encontradas, nomeadamente pelas PME, no acesso às actividades de serviços e ao seu exercício reside na complexidade, morosidade e insegurança jurídica dos procedimentos administrativos.
Por esta razão, a exemplo de algumas iniciativas de modernização e de boas práticas administrativas a nível comunitário ou nacional, é necessário estabelecer princípios de simplificação administrativa, nomeadamente através da limitação da obrigação de autorização prévia aos casos em que esta seja indispensável e da introdução do princípio da autorização tácita das autoridades competentes após a expiração de um determinado prazo. Esta acção de modernização, assegurando simultaneamente os requisitos da transparência e de actualização das informações relativas aos operadores, visa eliminar os atrasos, os custos e os efeitos dissuasivos que decorrem, por exemplo, de diligências desnecessárias ou excessivamente complexas e onerosas, da duplicação das operações, da «burocracia» na apresentação de documentos, da arbitrariedade das instâncias competentes, de prazos de resposta indeterminados ou excessivamente longos, da limitação dos prazos de vigência das autorizações concedidas ou de despesas e sanções desproporcionadas. Estas práticas têm efeitos dissuasivos particularmente importantes em relação aos prestadores que pretendam desenvolver as suas atividades em outros Estados-Membros e carecem de uma modernização coordenada num mercado interno alargado a 25 Estados-Membros."
__________________________________________________________________________________

Em 2011 chega a Portugal... 
Muitos são os comerciantes de Armação de Pêra, que se vêm a braços com todas estas burocracias, muitas delas terminam em sanções "multas" por parte da autarquia, para além de todos os gastos inerentes a estes procedimentos, consideramos justa e aplaudimos esta excelente medida, que só peca por tardia, pois nos tempos que correm, não são os procedimentos administrativos que impedem a abertura de novos estabelecimentos, mas sim o estado da nossa economia!

Data: Sexta-feira, 1 de Abril de 2011
Número: 65 Série I
Emissor: Presidência do Conselho de Ministros
Diploma: Decreto-Lei n.º 48/2011
O que é?
Este decreto-lei simplifica a abertura e a modificação de determinados negócios, introduzindo um regime simplificado de instalação e funcionamento, a que se chamou Licenciamento Zero.
Com este novo regime, são eliminadas as licenças, autorizações, vistorias e outras permissões necessárias à abertura e ao funcionamento de diversos negócios. Em contrapartida, é reforçada a fiscalização e passa a haver uma maior responsabilização dos empresários.
O que vai mudar?
Até aqui, os proprietários de restaurantes, cafés, bares, oficinas, lavandarias, cabeleireiros, talhos e outros negócios tinham de obter um conjunto de licenças antes de iniciar a sua actividade.
Com o Licenciamento Zero, em vez de ter de esperar pelas licenças, os proprietários precisam apenas de comunicar, através do Balcão do Empreendedor, a abertura ou modificação do seu negócio e declarar que se comprometem a cumprir toda a legislação a ele respeitante.
Essa comunicação pode também incluir informação sobre:
  • a ocupação do espaço público (por exemplo, com toldos, esplanadas, estrados, floreiras, vitrinas, arcas de gelados e caixotes de lixo)
  • o horário de funcionamento do estabelecimento e suas alterações
  • as alterações do ramo de actividade, do nome do estabelecimento ou dos seus  donos
  • o encerramento do estabelecimento.
Uma vez efectuada a comunicação e pagas as taxas devidas, os empresários podem abrir imediatamente os seus estabelecimentos ou fazer as alterações pretendidas.
Balcão do Empreendedor
O Balcão do Empreendedor está disponível na Internet, no Portal da Empresa, ou nos balcões das Lojas da Empresa de todo o país. Poderá ainda aceder a este serviço nos balcões dos municípios e das entidades públicas ou privadas (por exemplo, associações empresariais) que o pretendam disponibilizar.
Aí, os empresários encontram:
  • as regras aplicáveis ao seu negócio, em linguagem clara
  • informação sobre as taxas a pagar e o modo como são calculadas.
Actividades que já não precisam de licença nem de ser comunicadas
As seguintes actividades não necessitam de qualquer licença nem de ser comunicadas no Balcão do Empreendedor:
  • afixação e inscrição de mensagens publicitárias relacionadas com a actividade do estabelecimento (desde que sejam respeitadas as regras sobre a ocupação do espaço público)
  • venda de bilhetes para espectáculos
  • leilões realizados em lugares públicos.
O que acontece se o empresário não cumprir as regras
O Licenciamento Zero assenta numa maior responsabilização dos empresários pelo cumprimento das regras aplicáveis aos seus estabelecimentos.
Assim, se estes não fornecerem, através do Balcão do Empreendedor, a informação necessária ou se esta não corresponder à verdade, podem ter de pagar coimas até:
  • 3.500 euros, se forem indivíduos;
  • 25.000 euros, se forem empresas.
Se a infracção for grave, as autoridades podem encerrar o estabelecimento ou proibir os proprietários de exercer essa actividade (durante, no máximo, dois anos).
Que vantagens traz?
Com este decreto-lei pretende-se:
  • reduzir a burocracia a que estavam sujeitos diversos negócios;
  • incentivar o empreendedorismo.
Quando entra em vigor?
Este decreto-lei entra em vigor no primeiro dia útil do mês a seguir ao da sua publicação.
Ao longo do primeiro ano, as novas regras vão aplicar-se de forma faseada aos diversos tipos de negócios (verPortaria n.º 131/2011, 4 de Abril). Aos negócios que ainda não estejam abrangidos aplicam-se as anteriores regras.
In Diário da república electronico. 

FC Porto Campeão 2010/2011

quinta-feira, 31 de março de 2011

Dar o exemplo - o Ambiente e a saúde pública agradecem -

"As imagens falam por si"
A nossa Associação brevemente irá ter um departamento que estará ligado aos animais, sobre este assunto bastante pertinente, daremos mais novidades mais adiante, estamos a preparar os protocolos necessários sobre os quais todos os nossos associados vão ter deles conhecimento e quem sabe usufruir de algumas vantagens a eles inerentes.






quinta-feira, 10 de março de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011

E esta hem...


A tranquilidade está de volta, estão de parabéns a Gracinha, a  Mafalda e todas as crianças que a nós se dirigiram e que deram o impulso para este Carnaval espontâneo. 
Da nossa parte estaremos presentes, desde que existam as condições mínimas. Hoje e apesar de , termos alertado para o facto de não darmos o nosso nome para a organização do Carnaval e por motivos de segurança, propusemos ao Sr. Presidente da junta que se deslocasse à GNR para alertar que o desfile de amanhã, irá decorrer conforme os anos anteriores.
Apesar de todos os riscos que corremos no Domingo, uma coisa ficou clara, a população de Armação deseja e quer que o CARNAVAL TRAPALHÃO CONTINUE, as entidades só têm de organizar a estrutura para que esta situação não se repita.
Não se devem fechar portas e devemos todos contribuir para que seja sempre mais e melhor e não criar obstáculos.


SAÍDA ROTUNDA DO BARCO ÀS 15.00 HORAS.


A todos desejamos um bom Carnaval e siga a festa, amanhã lá estaremos!




quinta-feira, 3 de março de 2011

Carnaval Trapalhão - breves apontamentos!

No carnaval de 2001 o pessoal de Alcantarilha veio de novo, como já era hábito em anos anteriores, desfilar em Armação de Pêra. A brincar, a brincar, ficou combinado entre alguns amigos de Armação que no ano a seguir iríamos também desfilar com eles e assim aconteceu. Em 2002 lá fomos nós, para Alcantarilha. Todos juntos, desfilamos nesta vila e depois seguimos para Pêra e a seguir Armação. O objectivo principal era divertirmo-nos e levar as crianças e quem mais quisesse juntar-se a nós e ao pessoal de Alcantarilha, tentando dinamizar um pouco as vilas. 


No ano a seguir já contamos com mais voluntários. Nesse ano solicitamos alguns materiais às entidades e a partir daí sempre foi assim (os materiais eram sempre solicitados em Janeiro ou Fevereiro, sempre em cima do tempo, assim como toda a preparação do desfile). Em 2002 já não foi possível ir a Alcantarilha e Pêra, (por motivos de segurança e devido ao transito nas estradas) porque tínhamos mais carros e atrelados, mas a malta de Alcantarilha continuou sempre a vir para cá.



A “organização” do carnaval foi sempre mudando de nomes, até chegamos a usar o nome da LAPA, cuja mesma tínhamos intenção de continuar, mas foi-nos aconselhado criar uma Associação nova.... 

Quando se formou a Associação Amigos de Armação, onde alguns dos membros pertenciam também á organização do Carnaval Trapalhão, por motivos técnicos e financeiros decidiu-se integrar o carnaval nas actividades da mesma, no entanto todos sabemos que o Carnaval Trapalhão é do povo de Armação e continuará a sê-lo, sem eles não teria sucesso algum!



O plano de actividades do ano 2010, foi entregue na CMS e até hoje nunca recebemos resposta da CMS sobre esse mesmo plano. 

Mediante as poucas condições que tínhamos e temos, fomos desenvolvendo as actividades possíveis de fazer, sem o apoio das entidades, a CMS apenas “apoiou” os carnavais, com as habituais tábuas, pregos, fitas, balões e papelinhos... coisa pouca digamos, pois mesmo sendo trapalhão, há gastos que têm de ser tomados em conta, para melhorar as condições e adquirir materiais, pagar musicos, etc.




Para além dos materiais habitualmente requisitados pelos anteriores Carnavais, no ano passado pedimos que nos dessem algum valor monetário, conforme já referimos, não recebemos qualquer resposta. Foi assim durante aproximadamente 2 anos, em que pedíamos esclarecimentos e levantamos questões pertinentes acerca da nossa Vila, no entanto saiamos sempre de cabeça vazia e com a sensação de que não estavam minimamente interessados...

Este ano a Associação não enviou plano de actividades para a CMS, nem para a Junta de Freguesia. Decidimos abrandar um pouco, porque foram muitas as actividades que desenvolvemos. 

Em virtude de não termos tido qualquer resposta dos diversos ofícios e contatos realizados, resolvemos não requisitar qualquer ajuda ao nosso Município, tal não é obrigatório, uma vez que estamos em crise, resolvemos ficar entregues a nós próprios, como sempre estivemos.

Para além de que a atividade do Carnaval seria posta como uma atividade pontual, sendo que poderíamos sempre requisitar esse apoio.

No entanto, um dos membros da Associação reuniu-se com o Presidente da Junta, pedindo  o espaço (armazém) para a construção dos carros, a resposta foi pronta: NÃO HÁ DINHEIRO!
Sugerindo inclusive, que se colocasse uma tenda no pátio da escola primária, pois a junta não tinha 1 000,00 € para alugar o espaço para a construção dos carros.






A nossa resposta foi pronta: Na escola primária, pondo em causa a segurança das nossas crianças: NÃO!!!

Foi por este motivo, que as cartas pedindo os materiais não foi enviada, pela Associação, deixando claro que participaríamos, mas não iríamos dar o nome, como organização, de um evento, cuja toda a elaboração dos carros seria feita num espaço não apropriado.Também foi referido na reunião, que o Casino é um espaço essencial para este tipo de atividade, no entanto está ao abandono e a degradar-se de dia para dia.




Quem faz trabalho voluntário sem interesses pessoais nunca ficará espera de agradecimentos e o Carnaval nunca foi do pessoal da organização. Todos os que desfilam neste carnaval trapalhão é que dão vida ao mesmo, sem eles, crianças, jovens, adultos e idosos, nunca teria existido este carnaval. 

É por isso que ele é trapalhão, poderemos ser pobres, mas não queremos ser miseráveis, daí achamos e sentimos que fomos muito pouco apoiados por parte das nossas entidades...

O carnaval trapalhão é de todos e para todos e jamais irá acabar, poderemos não ter tantos carros, mas iremos conseguir que o povo se una e encha as ruas de Armação com cor, alegria e divertimento!!!!







Com ou sem trator, com mais ou menos carripanas a caravana vai sair e a prova está aqui:


http://www.facebook.com/event.php?eid=101130163302464




segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Geração à rasca...

PARVA QUE EU SOU
Deolinda

Sou da geração sem remuneração
E não me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!
Porque isto está mal e vai continuar,
Já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘casinha dos pais’,
Se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou!
Filhos, marido, estou sempre a adiar
E ainda me falta o carro pagar,
Que parva que eu sou!
E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘vou queixar-me pra quê?’
Há alguém bem pior do que eu na tv.
Que parva que eu sou!
Sou da geração ‘eu já não posso mais!’
Que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!
E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar.

O Casino...